SOBRE

SOBRE

Anna Turra atua como lighting designer e designer multidisciplinar. Graduada em Arquitetura e Urbanismo pela FAU/USP. Assina criações que compõem o desenho do espaço e da cena – dentro e fora do palco: projetos de iluminação cênica e arquitetônica, cenografia, videomapping, direção de arte e projetos de comunicação visual. Dirige equipes multidisciplinares conforme demanda de cada projeto.

No teatro, destacam-se o Set Design (iluminação, cenografia e videodesign – em parceria com Camila Schmidt e Rogério Velloso) e Lighting Design de Merlin e Arthur – um sonho de liberdade, com direção de Guilherme Leme Garcia; Lighting Design em Ninho, com Janaína Suaudeau e direção de Bruno Guida, Vídeo-cenografia em Ladies – Da inocência à crueldade, dirigido por Cristiane Paoli Quito, Cenografia em A Domadora, de Paula Picarelli e Vídeo-cenografia com câmeras ao vivo em Ópera de Sabão, da companhia Ivo60, dirigido por Pedro Granato.

Na música, Direção de Arte e criação de Cenografia, Iluminação e Projeções do concerto multimídia Voos de Villa, com direção musical do maestro Gil Jardim e repertório de Heitor Villa-Lobos; Desenho de luz para a turnê Fogueira em Alto Mar, de Ana Carolina; Direção de Arte, iluminação, cenografia e vídeo-projeções na turnê A Mulher do Fim do Mundo, de Elza Soares, bem como Direção de Arte, cenografia e iluminação na turnê Deus é Mulher, da mesma intérprete; Desenho de luz e operação de luz nas turnês Disco, Já É, Ao vivo em Lisboa e RSTUVXZ, de Arnaldo Antunes; Criação de luz e operação de luz para Maria Bethânia no show Sucessos (2017); Criação de luz para registro audiovisual e para turnê Síntese, do grupo 5 a Seco; Cenografia e desenho de luz para a turnê Quebra-Cabeça, de Bixiga70; Iluminação e vídeo-cenografia nas turnês Sou Suspeita Estou Sujeita Não Sou Santa e Amigos Imaginários, de Anelis Assumpção e na turnê Saudade, de Mallu Magalhães.

Em exposições, Projeto de iluminação para Nada levarei quando morrer, aqueles que me devem cobrarei no inferno, Agora Somos Todxs Negrxs?, e MitoMotim, ambas realizadas no Galpão VB (Videobrasil), bem como para Arte-Veículo, realizada no Sesc Pompeia – curadoria de Ana Maria Maia e META-ARQUIVO: 1964-1985 – curadoria de Ana Pato, realizada no Sesc Belenzinho; Projeto de Iluminação para a 3ª FRESTAS – Trienal de Artes, realizada no Sesc Sorocaba (2021).

Em iluminação de arquitetura, Projeto de iluminação para o Museu Boulieu, em Ouro Preto/MG (em fase de finalização), Projeto de iluminação para sede paulista da galeria A Gentil Carioca, entre outros.

No cinema, Criação de luz para o álbum visual Síntese, de 5 a Seco; Criação de luz cênica para a série/reality show Nasce Uma Rainha, produzido por Boutique Filmes e Netflix Brasil (2020). No início do percurso profissional (2005-2008), atuou também como 1º assistente de montagem em longas-metragens e na direção e montagem de conteúdos audiovisuais independentes.

Prêmios

Premiada na 14º edição do Prêmio APTR de Teatro pela Iluminação em Merlin e Arthur – um sonho de liberdade (2019)

Indicada na categoria Especial do Prêmio Cesgranrio de Teatro 2019 pelo Set Design do mesmo espetáculo, desenvolvido com Camila Schmidt e Rogério Velloso.

Outras atividades

Em duo com o músico Guilherme Kastrup, circulou com a live performance audiovisual Amplitude no festival Live Cinema no Rio de Janeiro, no festival LPM 2015 e em residência artística no Pastificio Cerere, ambos em Roma (IT).

Criou materiais gráficos e identidade visual para Substância Filmes, Cia. Nova Dança 4, Arnaldo Antunes, Guilherme Arantes, 5 a Seco, Anelis Assumpção, ICCo – Instituto de Cultura Contemporânea, Ana Cañas, entre outros.

Educacional

Ministrou o curso de extensão Vídeo: Linguagem Múltipla na SP Escola de Teatro em 2013, a Oficina de Criação de Iluminação para o Coletivo C9 no Projeto Arrastão em 2017, módulo sobre Vídeo e Cinema Expandido no curso de Cenografia na EBAC (Escola Britânica de Artes Criativas), em São Paulo, em 2018 e 2019, entre outras oficinas de criação em São Paulo (no Projeto Arrastão e CITA) e em Fortaleza (na Escola Porto Iracema das Artes e no programa de formação “Faz a Cena”, no Porto Dragão, em 2016, 2018 e 2021), bem como em formato online pelo ciclo de oficinas do Festival RecBeat em 2021.

Após graduação em Arquitetura e Urbanismo, cursou como aluna especial a disciplina Performance Audiovisual: Processos, Conceitos, História, com a Prof. Dra. Patricia Moran no programa de Pós-Graduação em Meios e Processos Audiovisuais da ECA-USP em 2017, bem como os workshops The Opaque Image, com Vladimir Miller no festival ImPulsTanz em Vienna em 2010, A Escrita na Cena, com Isabel Teixeira no SESC-SP em 2016, Processos criativos, com Márcio Abreu no CIT Ecum em 2017 e Arquitetura da Luz, no MIS/SP em 2011.

—-
english version (resumed):
Anna Turra is an architect working as lighting and multidisciplinary designer. Developer of projects in lighting design, scenography, audiovisual and graphic design, she creates visual, lighting and spatial conception in live spectacles (music, theatre, dance), audiovisual content, exhibitions and architecture. Her creations include those for Elza Soares, Voos de Villa, Arnaldo Antunes, Anelis Assumpção, 5 a Seco, Aventura Entretenimento, Guilherme Leme, Cristiane Paoli Quito, Videobrasil, Sesc Pompeia, Canoa Arquitetura and more. Graduated in Architecture and Urbanism at São Paulo University (FAU/USP). Awarded for the Lighting Design in the play “Merlin & Arthur – um sonho de liberdade” by 14th Prêmio APTR de Teatro.