SOBRE

SOBRE

Designer multidisciplinar, Anna Turra assina projetos de comunicação visual e criações que compõem o desenho da cena (experimental e institucional), pesquisando a intersecção entre artes visuais, música, artes cênicas e tecnologia. Em parceria com colaboradores igualmente multidisciplinares, atua em projetos de cenografia, iluminação, vídeo-cenografia, mapping, vídeo-instalações, performances de live images e design gráfico. Formada em Arquitetura e Urbanismo pela FAU/USP.

Ministrou o curso de extensão Vídeo: Linguagem Múltipla na SP Escola de Teatro e Oficina de Iluminação para o Coletivo C9 no Projeto Arrastão. Frequentou os workshops The Opaque Image, com Vladimir Miller no festivalImPulsTanz em Vienna, A Escrita na Cena, com Isabel Teixeira no SESC-SP e Arquitetura da Luz, no MIS/SP.

No teatro assinou vídeo-cenografia em Ladies – Da inocência à crueldade, dirigido por Cristiane Paoli Quito, Ópera de Sabão, da companhia Ivo60, dirigido por Pedro Granato. Na música, assina criação de luz e operação de luz nas turnês Disco e  Já É, de Arnaldo Antunes, Direção de Arte (iluminação, cenografia e vídeo-projeções) na turnê A Mulher do Fim do Mundo, de Elza Soares; criação de luz na turnê Tomada de Filipe Catto; criação ao vivo de imagens em movimento (vjing) para SuperUber; criação de luz e vídeo-cenografia nas turnês Sou Suspeita Estou Sujeita Não Sou Santa e Amigos Imaginários, de Anelis Assumpção e na turnê “Saudade”, de Mallu Magalhães; vídeo-cenografia na turnê Condição Humana, de Guilherme Arantes. Na dança, assinou cenografia em Anatomia da Melancolia, de Nathalia Catharina  e vídeo-cenografia no espetáculo Revolver-Road, da cia. Silenciosas, dirigido por Diogo Granato.

Em duo com o músico Guilherme Kastrup, circulou com a live performance audiovisual Amplitude no festival Live Cinema no Rio de Janeiro, no festival LPM 2015 e em residência artística no Pastificio Cerere, ambos em Roma (IT).

Criou materiais gráficos e identidade visual para Cia. Nova Dança 4, Arnaldo Antunes, Guilherme Arantes, 5 a Seco, Anelis Assumpção, ICCo – Instituto de Cultura Contemporânea, Substância Filmes, Ana Cañas, entre outros.

Fez parte da equipe de produção da 16ª edição do festival Videobrasil.