Iluminação para a exposição Arte-Veículo

Iluminação para a exposição Arte-Veículo

Desenho de luz para a exposição “Arte-Veículo”, com curadoria de Ana Maria Maia. Montagem no Sesc Pompeia, em São Paulo, com visitação entre 29 de agosto e 2 de dezembro de 2018. Em breve novas fotos (foto atual feita com celular).

Exposição coletiva com 47 artistas e grupos estudados na pesquisa Arte-veículo, da curadora Ana Maria Maia. A exibição tem como proposta representar as intervenções midiáticas no contexto de uma instituição cultural. Desde a televisão, inaugurada em 1951, e a Internet, difundida no início dos anos 2000, diferentes artistas e grupos figuraram no agendamento midiático para nele experimentar e praticar “inserções em circuitos ideológicos”, como alegou Cildo Meireles em 1970. Ou disseminar “ideias vírus”, conforme Giseli Vasconcelos prescreveu já em 2006, fazendo ressoarem ao longo das décadas os termos de uma relação que se dá entre os veículos de comunicação como hospedeiros e os artistas como parasitas.

Para repercutir intervenções midiáticas no contexto de uma instituição cultural, a curadoria pretende misturar diferentes suportes na organização espacial da exposição, de documentos impressos e registros em vídeo a objetos e instalações. O projeto foge de uma narrativa cronológica para priorizar o entendimento de estratégias recorrentes dos artistas e grupos no decorrer desse intervalo histórico. Desse partido, surgem seus sete núcleos, denominados a partir de verbos que denotam um conjunto de ações: perder-se, sair às ruas, duelar, hackear, “ouviver”, ficcionalizar e experimentar a linguagem. A exposição propõe também um programa público de performances, conversas e laboratórios, e ainda a reinserção de trabalhos em espaços de imprensa e mídias, como jornais, revistas e programas de rádio, e mesmo redes sociais.